Golpe do Saque Aniversário FGTS: O que é e como se proteger

Você já ouviu falar no golpe do Saque Aniversário FGTS? A modalidade de saque virou alvo de criminosos, que usam o seguinte esquema: o criminoso usa o nome e CPF da vítima, realiza o cadastro no app da Caixa usando outro telefone e e-mail, cria uma conta e consegue realizar o saque ou fazer empréstimos usando o valor do Fundo de Garantia da pessoa.

Quer saber mais sobre o golpe do Saque Aniversário FGTS e como proteger seus dados dos golpistas? Continue lendo esse artigo e se informe!

O que é o Saque Aniversário FGTS?

O Saque Aniversário do FGTS permite que o trabalhador retire uma parte do saldo do Fundo de Garantia, uma vez por ano, no mês do seu aniversário. Esse dinheiro pode ser usado para todos os fins.

Diferente do Saque Rescisão, no Saque Aniversário o trabalhador deve manifestar interesse em sacar os valores. Para isso, precisa liberar essa opção no aplicativo do FGTS. Quando se opta pelo Saque Aniversário, você perde a possibilidade de sacar o saldo integral da sua conta do FGTS em caso de demissão sem justa causa. Assim, caso o trabalhador perca o emprego, conseguirá retirar apenas o valor referente à multa rescisória de 40%.

O valor do Saque Aniversário varia conforme o saldo disponível na conta de cada pessoa. Uma vez ativado, o Saque Aniversário permite ainda que o trabalhador faça um empréstimo para antecipar as parcelas dos anos seguintes, esse empréstimo é chamado de Antecipação do Saque AniversárioA antecipação usa os valores do FGTS como garantia, o que, nas mãos dos golpistas, pode virar um grande prejuízo para as vítimas como veremos a seguir.

O que é o golpe do Saque Aniversário FGTS?

O golpe do Saque Aniversário FGTS funciona assim: os criminosos acessam o aplicativo do FGTS usando o nome e CPF da vítima – mesmo que a pessoa não tenha cadastro no aplicativo, os golpistas conseguem fazer isso utilizando outro e-mail e número de celular.

Assim, ao entrar no aplicativo, os criminosos selecionam a opção “Saque Aniversário” e retiram o dinheiro. Além disso, eles também contratam empréstimos – como a antecipação. Além do prejuízo financeiro, a vítima também fica impossibilitada de efetuar o Saque Rescisão em caso de demissão sem justa causa.

O golpe envolvendo o valor do FGTS é silencioso, ou seja, muitas vezes a vítima só fica sabendo que sofreu um golpe quando tenta acessar algum dos serviços que envolvem o Fundo de Garantia, e vê que o seu CPF já está cadastrado e vinculado a um e-mail desconhecido.

Como os golpistas agem para roubar os dados das vítimas:

  • Vagas de emprego falsas na internet – as vítimas ao se candidatarem para o processo seletivo das vagas acabam compartilhando seus dados pessoais;

  • Falsos empréstimos – outra forma de conseguir roubar os dados das vítimas é com empréstimos falsos, que iludem oferecendo condições super vantajosas, mas que, na verdade, fazem parte da fraude para conseguir dados;

  • Notas fiscais e etiquetas – os criminosos também conseguem os dados das vítimas através de notas fiscais de compras pela internet. Ao jogar fora uma embalagem, geralmente a pessoa acaba esquecendo de retirar a nota que vem colada no pacote, os golpistas compram essas notas para usar os dados e aplicar golpes;

  • Funcionário falso de banco – alguns criminosos também agem como se fossem funcionários de bancos, oferecendo ajuda aos clientes, mas, na verdade, estão lá para roubar informações.

Como se proteger do golpe do Saque Aniversário FGTS?

Agora que você já sabe como funciona o golpe do Saque Aniversário FGTS, veja essas 10 dicas fundamentais para se proteger:

  1. Nunca clique em links desconhecidos recebidos por e-mail, WhatsApp, SMS ou redes sociais. Na dúvida, entre em contato com a empresa em seus canais oficiais para informar sobre o ocorrido.

  2. Crie o hábito de consultar seu saldo do FGTS para ver se está tudo certo com a sua conta.

  3. Fique atento às datas dos saques do FGTS para retirar seu dinheiro assim que ele ficar disponível. Isso reduz as chances de o golpista conseguir sacar o valor antes de você.

  4. Informe-se por canais oficiais, como o aplicativo do FGTS. Se houver valores a sacar, você deverá fazer a movimentação por meio do aplicativo Caixa Tem. Se tiver dúvidas, consulte o site da Caixa ou use as opções de atendimento presencial.

  5. Nunca informe seus dados através de uma ligação, SMS ou e-mail vindos da Caixa. O banco nunca envia mensagens com solicitação de senhas, dados ou informações pessoais.

  6. Proteja sua senha do app FGTS, do app Caixa Tem e do Cartão Cidadão. Não anote, nem guarde em lugares óbvios como carteira, bloco de notas do celular ou computador, ou no próprio Cartão Cidadão.

  7. Nunca compartilhe suas senhas, usuários de login ou dados pessoais. Afinal, essas informações são confidenciais e o vazamento delas, pode te trazer sérios problemas.

  8. Evite usar redes Wi-Fi públicas para movimentar sua conta do FGTS, isso porque essas redes facilitam o roubo de dados.

  9. Sempre avise seus familiares, amigos e conhecidos sobre as modalidades de golpes. Especialmente, aqueles que não estão familiarizados com a internet, pois eles são mais vulneráveis aos golpes do FGTS.

  10. Não aceite ajuda de estranhos com aplicativos ou até mesmo dentro das agências bancárias. Em caso de necessidade, procure um funcionário da agência.

Como saber se o seu CPF foi usado por outras pessoas

Você já se perguntou se o seu CPF foi usado alguma vez por outras pessoas sem o seu consentimento? O aumento de vazamento e roubo de dados faz crescer essa dúvida entre os brasileiros. Mas saiba que com a ajuda de ferramentas online – e gratuitas – você pode consultar se o seu CPF já foi usado por outras pessoas. Veja abaixo algumas delas:

  • Registrato

É um sistema administrado pelo Banco Central. Com ele é possível monitorar as contas bancárias associadas ao seu CPF e conferir se existem cadastros, abertura de contas, movimentações desconhecidas ou dívidas, o que pode indicar fraude.

Você pode acessar o Registrato através da sua conta gov.br, que solicita somente CPF e senha cadastrados. Feito isso, se houver algum empréstimo ou financiamento vigente ou realizado no passado, será exibido na tela.

  • Serasa Experian

A Serasa Consumidor permite que você consulte se o seu CPF está regular ou negativado, isto é, se a pessoa está com “nome sujo” por conta de dívidas ativas. Para fazer a consulta, basta acessar o site da Serasa Consumidor, fazer um pequeno cadastro com seus dados e depois consultar seu CPF.

Caso desconheça algum débito, é provável que seus dados tenham sido usados por outras pessoas para a contração da dívida. Neste caso, entre em contato com a instituição envolvida para prosseguir com a resolução da fraude.

  • SCPC

Nessa ferramenta, você também pode consultar se seu CPF está vinculado a dívidas desconhecidas no SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), o que indicaria uso indevido dos seus dados. Acesse o site do Boa Vista Consumidor Positivo, faça seu cadastro e veja se existem pendências no seu nome. Caso haja algum registro desconhecido no CPF, também será necessário procurar a empresa que cadastrou o débito para resolver o problema.

Caí no golpe do Saque Aniversário, e agora?

Caiu no golpe do Saque Aniversário do FGTS? Siga esse passo a passo para solicitar a abertura de um processo administrativo sobre o seu caso:

  • Vá até a Caixa

Procure uma agência e leve seus documentos de identificação, sua carteira de trabalho e/ou outro documento que comprove o término do vínculo trabalhista relacionado aos depósitos do FGTS. Na Caixa, você terá acesso às informações sobre o saque indevido, ou seja, quem realizou o cadastro em seu nome no app Caixa Tem, assim como localidade e data.

  • Registre um Boletim de Ocorrência

Depois de ir até ao banco, registre um Boletim de Ocorrência. Inclua o máximo de detalhes possíveis sobre o golpe que sofreu, além das provas do saque indevido que conseguiu na Caixa.

  • Abra um processo administrativo na Caixa

Com o B.O. feito, abra um processo administrativo na Caixa. O banco tem o prazo de até 60 dias para dar um retorno à vítima.

  • Bônus: se o banco não resolver o seu problema, saiba que nem tudo está perdido!

Procure um advogado especializado em problemas com empréstimos e FGTS no geral, para defender seus direitos e promover as medidas necessárias.

Publicado por Vitor Fadel

Formado em Estatística pela Unicamp e com MBA em Big Data Analytics pela FIA, atua como o responsável por Riscos de Crédito na Sim. Ao longo da carreira, atuou em áreas de Crédito, Cobrança e Gestão de Portfólio com diferentes produtos, sempre buscando otimizar a relação entre risco e retorno e a satisfação dos clientes.

Assine nossa newsletter semanal e receba conteúdos exclusivos.

*Ao se cadastrar, você concorda com os nossos Termos de Política de Privacidade.

*Ao se cadastrar, você concorda com os nossos Termos de Política de Privacidade.