Entenda o que é a inflação e como ela afeta a vida financeira dos brasileiros

Você já reparou que de uns anos pra cá, a cada compra no supermercado parece que os preços estão mais altos? O aumento nos preços está diretamente relacionado à inflação, mas você sabe por quê? Confira no artigo abaixo 

Não é apenas nos preços dos produtos que sentimos os efeitos da inflação. Na verdade, ela é capaz de afetar nossas vidas financeiras como um todo. Por isso, é importante entender como funciona e como se organizar em momentos de turbulência financeira.

O que é a inflação?

A inflação no Brasil é sempre lembrada quando há aumento nos preços dos produtos, do valor do aluguel, dos combustíveis, em geral, quando o seu poder de compra diminui.

Recentemente, foi divulgado o estudo do matemático financeiro José Dutra Sobrinho que apontou que a inflação fez uma nota de R$ 100 valer apenas R$ 13,43 em 28 anos do Plano Real, ou seja, a moeda perdeu valor representativo nos últimos anos por conta do aumento da inflação.

Assim, a inflação é responsável por apontar o aumento dos preços de bens e serviços que são essenciais no dia a dia das pessoas, como: alimentação, habitação, vestuário, transporte, saúde, despesas pessoais, educação e comunicação. 

Viu só? Não é só nos preços dos produtos do supermercado que a inflação está presente.

Causas da inflação

A inflação pode ter várias causas. Essas causas podem estar ligadas à inflação de curto prazo – aumento em um mês – e a inflação de longo prazo – que é um aumento contínuo ao longo de um ano, por exemplo.  

Veja a seguir as causas mais comuns ligadas à inflação no curto prazo:

  • Aumento na demanda

Se por acaso há aumento de pessoas querendo comprar um determinado produto, fica mais difícil garantir o fornecimento para todo mundo. Por isso, dizemos que a demanda ficou maior do que a oferta, fazendo com que o preço suba, gerando inflação.

  • Aumento nos custos de produção

Isso acontece quando a inflação aumenta e fica mais caro produzir um produto ou oferecer um serviço. Com custos maiores de produção, há repasse de valor para o cliente final.

Agora, veja algumas causas da inflação a longo prazo:

  • Emissão de papel-moeda

Se os gastos são maiores do que a arrecadação, talvez seja necessário imprimir mais dinheiro, para que as contas sejam pagas. A emissão do papel-moeda faz com que o volume de dinheiro seja maior do que a oferta de produtos e serviços, fazendo com que os preços subam.

  • Diminuir a taxa de juros

Quando o governo diminui a Selic, investimentos na poupança, em renda fixa ou em títulos públicos tendem a render menos. No geral, os empréstimos também ficam mais baratos. Essa é uma forma de estimular o consumo e a produção. No longo prazo, gera aumento de demanda e pode causar o aumento da inflação.

Quais as consequências da inflação?

Além de fazer o seu dinheiro perder valor de compra, já que ele não acompanha a alta dos preços, as consequências da inflação também geram incertezas na economia, diminuindo investimentos, o que prejudica o crescimento econômico do país. 

As consequências da inflação influenciam todos os níveis da sociedade, ou seja, ela afeta desde o bolso daqueles que têm menos dinheiro até aqueles que têm muito.

De forma resumida, podemos dizer que, quando temos inflação alta na economia de um país, temos como principais consequências:

  • Desvalorização da moeda 

Com inflação alta, a moeda vai perdendo seu valor. Quando somamos a desvalorização do dinheiro com a falta de reajustes nos salários, temos um cenário onde o consumidor não consegue comprar os produtos que costuma comprar com o valor usado anteriormente.

  • Alta do dólar e aumento dos preços dos importados

Quando a moeda do país se desvaloriza, o dólar pode fazer o movimento inverso. Principalmente se o país com inflação alta for dependente de importações: os produtos importados aumentam de preço, alimentando ainda mais a inflação.

  • Diminuição dos investimentos no setor produtivo

Num ambiente de inflação elevada, muitos preferem investir seu dinheiro em aplicações financeiras (em bancos), ao invés de aplicar dinheiro no setor produtivo.

  • Clima econômico desfavorável

Um país que sofre com inflação alta é visto de forma negativa lá fora, no mercado internacional. Isso porque os investidores evitam colocar dinheiro nesses países, pois sabem que a inflação alta é um indicativo de problemas econômicos. 

  • Elevação da taxa de juros

Quando a inflação está alta, muitos países usam como mecanismo para controlar a inflação o aumento da taxa de juros, com a seguinte justificativa: com juros elevados o consumo diminui, forçando os preços a caírem. 

  • Aumento do desemprego

A inflação alta também pode influenciar no aumento da taxa de desemprego. Países que não conseguem baixar e controlar a inflação sofrem no longo prazo, pois ocorre a diminuição dos investimentos no setor produtivo, o que significa menos vagas de emprego.

Como a inflação é calculada?

A inflação é calculada pelos índices de preços, chamados índices de inflação. O IBGE produz dois dos mais importantes índices de preços: o IPCA, considerado o oficial pelo governo federal, e o INPC.

Neste artigo, vamos falar do principal deles, que é o IPCA. Apesar de não ser calculado em todo território brasileiro, o IPCA é de abrangência nacional, ou seja, vale para todas as regiões e cidades.

O IPCA, serve para medir a variação de preços de uma cesta de produtos e serviços consumida pela população. Essa cesta é definida pela Pesquisa de Orçamentos Familiares, que verifica o que a população consome e quanto do rendimento familiar é gasto em cada produto: arroz, feijão, passagem de ônibus, material escolar, médico, cinema, entre outros.

O resultado desse cálculo mostra se os preços aumentaram ou diminuíram de um mês para o outro. Os índices levam em conta não apenas a variação de preço de cada item, mas também o peso que ele tem no orçamento familiar.

Cálculo do IPCA na prática:

Fonte: IBGE

O IBGE faz um levantamento mensal em 13 áreas urbanas do país, onde são levantados cerca de 430 mil preços em 30 mil locais. Todos esses preços são comparados com os preços do mês anterior, resultando num único valor que reflete a variação geral de preços ao consumidor no período.

Ficou curioso? Clique aqui e veja na prática como a calculadora do IPCA funciona.

Inflação no Brasil: como amenizar a alta dos preços? 

Já que está tudo caro, é hora de repensar alguns hábitos de consumo. Pense nos produtos e serviços que você mais consome e veja onde consegue diminuir ou cortar para economizar no seu dia a dia.

Veja aqui algumas dicas de como amenizar a alta dos preços causada pela inflação: 

  • Faça as compras do mercado com sabedoria, veja dicas nesse vídeo.
  • Tenha o hábito de comparar preços.
  • Quando possível, troque opções mais caras de alimentos por mais baratos ou experimente novas marcas.
  • Priorize mercados atacadistas ou redes mais econômicas.
  • Faça compras pequenas ao invés de uma compra mensal grande, assim você pode aproveitar as promoções ao longo do mês.
  • Renegocie preços de pacotes ou planos de telefone ou internet.
  • Planeje passeios e viagens com antecedência optando pelos melhores preços.
  • Seja responsável no uso do cartão de crédito: evite parcelar, busque alternativas de desconto à vista.
  • Envolva toda a família nessa economia, afinal, em tempos de inflação alta é dever de todos economizar. 

Pode ter certeza,  pequenas economias fazem a diferença no fim do mês!

Publicado por Fernanda Benevides

Formada em Comunicação Social pela ESPM-SP, atua como Head da área de Growth Marketing, na Sim, desde 2019, liderando as equipes de SEO, CRM, Mídia, Conteúdo e BI. Com trajetória profissional de mais de dez anos em marketing digital, atuou em diferentes indústrias, como varejo, bens de consumo e educação, em projetos focados na aquisição e rentabilização de clientes.