Como calcular juros ao mês?

Por que os juros existem?

Quando não pagamos alguma despesa no prazo ou pegamos algum dinheiro emprestado, o credor, ou seja, a empresa que ofereceu esse crédito estabelece uma taxa de porcentagem a mais sobre aquele valor esperando recebê-lo de volta num total maior. Os juros servem para recompensar o tempo que ele ficou sem o dinheiro, como uma garantia.

Na maioria das vezes, o credor é alguma instituição financeira como os bancos, por exemplo, e o indivíduo que retirou o crédito é chamado de devedor.

As taxas de juros acabam se tornando um meio de cobrir os custos com a transação e, também, de lucro para as instituições financeiras. Por isso, é importante entender como fazer um cálculo de juros e reconhecer quando vale a pena e quando é melhor deixar para outro momento.

Juros simples e compostos

Antes de explicar sobre como calcular a taxa de juros, vamos entender que tipos de juros podem existir?

  • Juros simples

Os juros simples são bem fáceis de entender e calcular. Eles funcionam, basicamente, calculando a taxa de juros sobre o valor inicial do empréstimo ou da dívida. A cada mês, você pagará a mais sempre o mesmo valor fixo que é calculado em cima do valor inicial. Ficou confuso? A gente explica como funciona na prática, no próximo tópico!

  • Juros compostos

Já os juros compostos são os mais comuns e mais utilizados na maioria dos serviços oferecidos pelos bancos. Vale a pena ter um pouco mais de atenção para não se deixar levar na hora do aperto. As taxas dos juros compostos são cobradas em cima do valor inicial emprestado mais o valor do juros cobrado no mês anterior. É o famoso “juros sobre juros”.

Como calcular juros?

Vamos imaginar a mesma situação para os dois exemplos: Você pegou emprestado R$ 1.000,00 e a taxa de juros é de 5% ao mês. Você terá 4 meses para devolver o empréstimo com os juros.

  • Juros simples

Neste cálculo é como se um valor fixo fosse adicionado em cada parcela. Primeiro, você multiplica o valor do empréstimo inicial com a porcentagem de juros:

1000 x 0,05 = 50

Então, R$ 50,00 é o valor dos juros que será adicionado a cada parcela mensal que você irá pagar até devolver todo o valor inicial. Ou seja, será sempre uma parte dos R$ 1.000,00 emprestado + R$ 50,00 de juros.

No caso do pagamento em 4 meses, dividimos o valor inicial do empréstimo (R$ 1.000,00) em 4 partes e adicionamos a taxa de juros, ficando dessa forma:

Primeiro mês: 250 + 50 = R$ 300,00
Segundo mês: 250 + 50 = R$ 300,00
Terceiro mês: 250 + 50 = R$ 300,00
Quarto mês: 250 + 50 = R$ 300,00

Total do valor devolvido com os juros: R$1.200,00

  • Juros compostos

O cálculo dos juros compostos é um pouco mais complicado, mas vamos te ajudar! Sua soma será sempre o valor do empréstimo + os juros adicionados da parcela anterior. Utilizando o mesmo exemplo temos o cálculo:

Primeiro mês:  1000 x 0,05 = R$ 50,00
Parcela 1: 250 + 50 = R$ 300,00

Como R$ 50,00 é o valor de juros inicial, para a próxima mensalidade você irá somar ao valor inicial do empréstimo (R$ 1.000,00 + R$ 50,00) e fazer a multiplicação do juros em cima desse valor total:

Segundo mês: 1050 x 0,05 = 52,50
Parcela 2: 250 + 52,50 = R$ 302,50

Terceiro mês: 1102,50 x 0,05 = 55,12
Parcela 3: 250 + 55,12 = R$ 305,12

Quarto mês: 1157,62 x 0,05 = 57,88
Parcela 4: 250 + 57,88 = R$ 307,88

Total do valor devolvido com os juros: R$ 1.215,50

E assim por diante, sempre multiplicando a taxa de juros em cima do valor inicial somado com os juros do mês passado. 

Sites que calculam pra você

Se você não quiser fazer essa conta, não tem problema. Já existem sites que podem fazer os cálculos dos juros por você:

Cálculo exato

Faz a conta 

Em cada situação, um tipo de Juros

Existem diversas situações em que comparamos as taxas de juros para analisar se é possível arcar com o valor a prazo ou não. Vou colocar abaixo os contextos mais comuns em que vale a pena fazer os cálculos, além de trazer suas particularidades e dicas de calculadoras online.

  • Juros de financiamento

Ao buscar adquirir um imóvel ou um automóvel, nos deparamos com os planos de financiamento. Eles parecem tentadores quando dividimos o valor em pequenas parcelas por muitos anos, mas qual será o valor total que você pagará por aquele bem no final? Saber as taxas envolvidas no processo é importante para entender o valor total e poder se programar para quitar a dívida sem prejudicar as suas finanças.

Um dos pontos para prestar atenção é no Custo Efetivo Total do financiamento, também chamado de CET. Ele é importante para entender outras taxas que não aparecem no plano de financiamento, mas que você também irá precisar pagar como: taxas de abertura de cadastro, taxas de avaliação de crédito, seguros, entre outros. Além disso, também são cobrados juros sobre todas essas taxas. Por isso, sempre pergunte sobre o CET para a instituição financeira que você está buscando financiamento.

Para calcular o total do valor do financiamento com o juros, o Banco Central do Brasil desenvolveu a Calculadora do Cidadão para cálculo de Financiamento com prestações fixas. Nela, você pode informar três de quatro variáveis e descobrir aquela que falta.

  • Juros de cartão de crédito

O juros do cartão de crédito, também chamado de crédito rotativo, é ativado assim que a fatura venceu e não foi paga ou não foi paga totalmente. O pagamento mínimo é um tipo de serviço que as operadoras de cartão de crédito oferecem para quem não consegue pagar o valor total da fatura no momento. A proposta parece simples e prática, mas esse mecanismo acaba funcionando como um financiamento de dívida e pode trazer prejuízos mais tarde. 

A taxa média de juros do rotativo do cartão de crédito está em torno de 15% a 20% ao mês, uma das taxas mais elevadas no mundo, segundo a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor. 

Além disso, o cartão de crédito também oferece a opção de parcelar o saldo devedor da sua fatura, comprometendo o seu limite e somando juros no parcelamento, o que pode desequilibrar bastante a sua saúde financeira. Portanto, antes de escolher essa opção, procure outras alternativas para pagar a sua fatura e tente reservar o cartão de crédito para situações emergenciais nas próximas vezes.

Você pode calcular os juros das dívidas com o seu cartão de crédito através da calculadora de dívida de cartão de crédito no site Cálculo Exato.

  • Juros de cheque especial

É importante frisar que o valor disponível que aparece para você de cheque especial não pode ser considerado como um saldo na conta. Muitos bancos juntam esse valor à quantia que você tem, parecendo um valor total. Por isso, tome cuidado. O cheque especial funciona como uma forma de empréstimo, mas as suas taxas de juros são muito elevadas podendo chegar a até 15% ao mês, dependendo do banco.

Se não for utilizado com cautela, os juros do cheque especial podem colocar em risco as suas finanças. Isso porque a taxa apresentada para utilizá-lo é mensal, mas o cálculo é cobrado em cima de cada dia que você deixou de pagar o valor de volta. É a mesma técnica utilizada para o cálculo de juros compostos, mas você soma o juros em cima do outro a cada dia que passa.

Além disso, os bancos costumam oferecer 10 dias sem juros para devolver o valor do cheque especial, o que parece tentador, apenas se você pagar dentro desse prazo. Após o período, os juros já começam a contar como 11 dias devidos, mesmo que antes não houvesse taxa para os 10 dias, a partir do 11° dia a taxa de juros é contabilizada sobre todo esse período.

Para te ajudar a calcular os juros sobre uma dívida com o cheque especial confira a calculadora de dívida de cheque especial do site Cálculo Exato.

  • Juros de empréstimo

Pedir um empréstimo acaba sendo uma possibilidade para lidar com emergências financeiras ou conseguir um valor mais alto em pouco tempo para um investimento inicial. De qualquer forma, é sempre importante entender os juros envolvidos para analisar se a opção cabe no seu bolso.

As opções de empréstimos, geralmente, trabalham com juros compostos. Por isso, é importante analisar o prazo escolhido para devolver o valor inicial + os juros. Existe também o CET (Custo Efetivo Total) do empréstimo, que inclui taxas como seguros, IOF e outros tributos que são obrigatórios. A contratação dessas taxas pode variar de acordo com cada instituição financeira, então fique atento aos custos do seu empréstimo, além dos juros.

Mesmo assim, existem opções de empréstimos online em que a taxa de juros pode chegar a 1,29% ao mês, ou seja, é uma das opções mais em conta quando levamos em consideração a possibilidade de dinheiro extra.
Calcule as taxas de juros sobre o montante total que pretende para o empréstimo com a ajuda da calculadora simuladora de empréstimos do site Cálculo Exato.

Fique em dia com as contas

Como vimos, existem diversas situações em que é possível se perder nas contas e correr o risco de desequilibrar sua vida financeira. Por isso, é sempre importante entender como os juros funcionam e saber qual pode ser a melhor alternativa para você naquele momento.

De qualquer forma, tenha sempre um planejamento financeiro em mãos e organize-se para pagar as dívidas e contas em dia. Evitando os atrasos ou o não pagamento que, como visto, podem elevar o seu custo. 

Precisando de ajuda? Conheça a Sim!

A Sim é uma plataforma do grupo Santander, que funciona de forma prática e simples, com um processo 100% digital e as melhores taxas do mercado.

Assista ao vídeo em nosso canal e veja como melhorar a sua taxa de juros na Sim.

Aproveite e descubra a sua simulação de taxa de juros, é rapidinho!

Publicado por Helmy Nagashima

Formada em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas com especialização em Economia. Tem uma trajetória de mais de 15 anos de experiência na indústria financeira atuando em diversas posições como Produto, Crédito, Riscos de Crédito e em People Analytics. Assumiu em 2020 a liderança da área de Credit e Analytics da Sim.