Renegociar dívidas: 5 motivos para provar que vale a pena.

Vamos combinar: uma das melhores sensações que a gente pode ter na vida adulta é sair do vermelho depois de ficar algum tempo com dívidas acumuladas ou até com o nome sujo. 

Dá para imaginar?

É como tirar um peso das costas.

Permite pensar melhor nos objetivos, ter tranquilidade para planejar seu dinheiro e, claro, conseguir respirar com alívio.

Nesse artigo, a gente te mostra que um dos melhores caminhos para limpar o nome e organizar a vida financeira é a renegociação de dívidas.

Aqui vão 5 motivos que confirmam que negociar dívidas é uma vantagem para você.

No final, a gente ainda mostra um caminho para você colocar a mão na massa e começar ter uma vida financeira mais organizada. Bora?

5 motivos para renegociar dívidas

1. Recuperar crédito

Quando você fica inadimplente ou com o nome sujo, a chance de conseguir crédito no mercado é muito baixa. 

Ela existe? 

Sim! 

Mas, em geral, você conseguirá condições desvantajosas, como valores baixos e taxas altíssimas, o que provavelmente não resolverá seu problema. 

Renegociar dívidas acelera o processo de recuperar o crédito no mercado e melhora as condições da oferta para você. 

Com isso, você consegue, por exemplo, ter acesso a um cartão de crédito, usar o cheque especial, fazer um financiamento ou pegar empréstimos.

2. Limpar o nome

Nada mais chato no dia a dia do que ter o nome sujo; não dá para fazer compras, não dá para alugar um imóvel, nem ter nome em contas de consumo, como telefone e internet.

É só dor de cabeça. 

Por isso, renegociar dívidas ajuda você a limpar seu nome para voltar a ter uma vida financeira mais organizada.

3. Dinheiro não “some” da conta

Quando você está com dívidas acumuladas, o dinheiro que entra não sobra para você fazer as coisas que deseja. 

Às vezes, nem para comprar o essencial. 

Veja as dívidas no cheque especial, por exemplo: se você utilizou esse serviço e ainda não pagou, qualquer dinheiro que entrar na sua conta é automaticamente consumido para pagar a dívida. 

Então, se você fizer uma renegociação da dívida, a conta sai do vermelho e o dinheiro que entrar não ficará comprometido.

4. Tranquilidade e organização financeira

Sem dívidas financeiras, você fica mais tranquilo e não sofre os impactos do estresse que tanto prejudicam a qualidade de vida. 

Essa tranquilidade é uma forte amiga da organização financeira. 

Quando a mente está calma, fica mais fácil planejar as contas e direcionar o pensamento para o que a gente realmente quer no futuro. 

 5. Juros menores

Se você está com dívidas no cartão de crédito ou cheque especial, já deve ter percebido que os juros estão comendo seu dinheiro. 

Sim, porque os juros dessas linhas de crédito são altos. 

A forma de sair dessa bola de neve é renegociar a dívida.

Qual é o segredo? 

Você pode pagar a dívida à vista e reduzir muito o seu débito. 

Em alguns casos, essa forma de renegociar dívidas chega a dar descontos de até 90%. 

Aí você pergunta: “e como conseguir esse dinheiro para renegociar minha dívida?”

A gente ajuda. 

Vamos lá!

Como renegociar dívidas?

O primeiro passo é você saber realmente o quanto deve. 

Procure as instituições de análise de crédito, como o Serasa ou o SPC, e faça uma pesquisa do seu CPF. 

Isso é importante porque, em algumas situações, você pode ter dívidas que sequer conhece, como algum boleto que “ficou para depois” e foi esquecido.

Depois, entenda bem como serão as condições da renegociação da dívida. 

Tudo precisa ficar bem claro: o valor do desconto; se a quitação será parcelada; se o parcelamento terá juros e se o pagamento à vista dá mais desconto, etc.

Com todas essas informações na mão (e na sua planilha financeira), é hora de conseguir o dinheiro para quitar essa dívida. 

Como? 

Com um empréstimo!

Só que, novamente, você começa a se perguntar: “então eu vou sair de uma dívida para entrar em outra?

Não vale a pena!”.

Na verdade, vale.

Renegociar dívidas

Não é qualquer empréstimo

Para conseguir quitar a dívida utilizando um empréstimo, você precisa do empréstimo certo. 

A ideia não é trocar uma dívida por outra, mas trocar juros altos por juros bem mais baixos.

Veja que interessante: a média dos juros do cartão de crédito chegam 13% ao mês (e 392% ao ano).

Os do cheque especial, 6% ao mês (127% ao ano). 

É muito dinheiro.

Na Sim, por exemplo, as taxas começam em 1,82% ao mês. 

A diferença é muito grande e muito vantajosa. 

Além disso, você tem a opção de fazer um empréstimo utilizando o seu carro como garantia, o que aumenta muito as chances de aprovação e é 80% mais barato do que empréstimos comuns (veja aqui).

A principal vantagem, no entanto, é essa: você quita suas dívidas, assume parcelas do empréstimo que cabem no seu bolso e tira a carga de estresse das costas para conseguir se organizar financeiramente.

Precisa do dinheiro extra para quitar as dívidas?

A Sim é uma fintech do grupo Santander que facilita o seu acesso ao crédito de forma rápida, simples e digital. 

Tem as melhores taxas do mercado e, como a gente falou, parcelas que cabem no seu bolso. Se você quer quitar suas dívidas de uma vez, clique no botão e faça uma simulação. 

Você vai comprovar como vale muito a pena fazer um empréstimo com a Sim para colocar suas contas em dia.

Ainda tem dúvidas? 

Dá uma olhada nesses 10 motivos para fazer empréstimo com a Sim e veja como é um excelente caminho para sua organização financeira.

Publicado por Fernanda Benevides

Formada em Comunicação Social pela ESPM-SP, atua como Head da área de Growth Marketing, na Sim, desde 2019, liderando as equipes de SEO, CRM, Mídia, Conteúdo e BI. Com trajetória profissional de mais de dez anos em marketing digital, atuou em diferentes indústrias, como varejo, bens de consumo e educação, em projetos focados na aquisição e rentabilização de clientes.