Dicas para planejar a sua viagem com Koin

Planejar uma viagem em momentos como esse podem exigir alguns cuidados a mais para garantir a segurança de todos. Por isso, se precisar viajar busque seguir todos os protocolos de segurança e fazer uma retomada que seja segura para todos.

Ao começar a planejar a sua viagem você vai perceber que existem diversas etapas e, nessa hora, a organização é a chave para conseguir se manter dentro do programado quando o assunto são as finanças.

Viajar é muito bom, mas extrapolar as contas no cartão de crédito pode não ser tanto assim quando voltamos da viagem. Por isso, um bom planejamento faz toda a diferença na sua saúde financeira, até mesmo nos momentos de lazer.

E falando nisso, você já pensou em parcelar os gastos da sua viagem com boleto ao invés de usar o cartão de crédito? Essa prática é uma forma simples e garante menos juros a você. Quer saber como?

Parcelar sem usar cartão de crédito?

A Sim se uniu à Koin para te oferecer mais crédito e facilitar as decisões financeiras no seu dia a dia.

A Koin é pioneira no mercado financeiro ao oferecer a modalidade de boleto parcelado.  Como estímulo à retomada responsável do turismo, a modalidade da Koin é uma comodidade oferecida ao viajante, aumentando seu poder aquisitivo.

Quando pensamos nas soluções que a Koin pode oferecer, já podemos pensar em organizar uma viagem!  Afinal, é comum nos preocuparmos com o limite do cartão de crédito ao pesquisar preços de passagens aéreas e hospedagens.

Que tal aproveitar esse momento para fazer planos e organizar bem o roteiro da próxima viagem? Então, aqui vão algumas dicas para o seu planejamento!

Como se organizar para uma viagem?

1 – Defina a data, período e destino

Com o sonho e a vontade em mãos é hora de começar a planejar! Para isso, comece definindo a data em que pretende realizar a viagem, se ela será nas suas férias, em um feriado ou em um final de semana. Depois disso, pense no período de dias que você irá viajar, por exemplo: 4 dias, uma semana, duas semanas, um mês…

É importante tomar essas primeiras decisões porque são elas que vão direcionar os destinos possíveis para a data e período que você tem disponível. A data também pode influenciar a estação do ano em que o destino vai estar, por exemplo: se você quer ver a neve, não vai adiantar chegar no destino durante o verão.

Por isso, após a definição da data e período, você pode escolher o destino que mais se encaixa nessa janela e começar a pesquisar sobre ele. Busque informações sobre pontos que quer visitar, restaurantes, museus, belezas naturais. Escolha o meio de transporte que irá utilizar durante a estadia, locais para hospedagem e organize tudo em uma planilha para que você possa ter em suas mãos todas as informações para consulta antes, durante e depois da viagem.

2 – Pesquise com antecedência

Assim que você já tiver definido os principais pontos da sua viagem é hora de começar a pesquisar os preços, principalmente, das passagens aéreas.

As passagens costumam ser  um dos itens que requer mais investimento na viagem, por esse motivo é importante começar a pesquisar com antecedência para garantir melhores preços.

Uma dica que garante economia é pesquisar pacotes (passagem + hospedagem), ao invés de buscar separadamente cada uma das opções. Em alguns casos, você consegue reduzir o custo em até 30%.

Outra opção que pode ajudar é programar alertas de ofertas em sites de passagens e hospedagens do seu interesse como o site Decolar, assim, além de ficar atento às promoções você também pode ser notificado quando algo do seu interesse aparece.

3 – Confira a documentação e vacinas necessárias

Para viagens dentro do Brasil, o documento que você não pode viajar sem é a sua identidade e, dependendo da versão dela, o seu CPF também.

Já para outros países é importante ficar atento à documentação que cada destino exige. O passaporte é um item indispensável, mas talvez você também precise de um visto ou, até mesmo, de comprovantes financeiros, passagens de ida e volta ou ainda a cartela de vacinação para a febre amarela, por exemplo.

Por isso, pesquise bem através de sites oficiais como o do consulado do país e se organize com os documentos necessários para viajar.

4 – Organize as finanças

É claro que não podemos esquecer de organizar bem as finanças da casa antes de começar a pensar em comprar passagens, reservar hospedagens e definir roteiro. Por isso, analise a sua renda atual e divida-a de uma forma em que você possa ter uma parte que seja sempre direcionada para os custos básicos de vida e uma parte para os custos de lazer.

Após essa análise, é possível que você tenha mais claro em mente o valor disponível para utilizar dentro dessa viagem que você está planejando. Assim, você evita criar planos que ultrapassam essa meta e pode ter um norte direcionador para a escolha da hospedagem, pontos turísticos a visitar, etc.

5 – Planeje os gastos

Com tudo definido, faça uma previsão dos gastos que você imagina ter durante a viagem. É importante criar um controle sobre esses gastos para entender o quanto você precisará de dinheiro para a viagem.

Para te ajudar, faça uma média diária dos custos que você teria durante a viagem e, depois, some esse valor com base na quantidade de dias que irá viajar. Alguns gastos essenciais para considerar ao estimar esse valor são:

  • hospedagem
  • alimentação
  • passeios
  • transporte
  • gastos extras

Não se esqueça de considerar uma margem maior que a média para possíveis imprevistos que podem acontecer, assim você não fica desprevenido caso aconteça algo que não estava no planejamento.

6 – Contrate um seguro viagem

O seguro viagem te ajuda a se sentir mais tranquilo com imprevistos como extravio de bagagem, atraso ou cancelamento de voos e em caso de acidentes pessoais.

Para viagens internacionais, geralmente, ele é obrigatório, sendo solicitado ao entrar no aeroporto do país. Alguns países na Europa exigem, inclusive, um seguro com cobertura mínima de 30 mil euros.

Mesmo quando não é obrigatório, é importante contratar um seguro viagem para garantir cobertura médico hospitalar em casos de doenças e/ou acidentes que podem ocorrer durante a viagem.

7 – Cuidado com o limite do cartão de crédito

Estourar o limite do cartão de crédito é sempre uma preocupação na hora de organizar uma viagem, ainda mais se for para um destino internacional, pois tudo que você gasta em países diferentes do Brasil, cai em moeda no próprio destino. Importante lembrar!

Uma possibilidade para não consumir o limite do seu cartão de crédito e ainda assim poder parcelar a sua viagem é utilizando o parcelamento através do boleto com a Koin ou solicitar um empréstimo, pagar as contas da viagem à vista e pagar aos poucos.

Quer saber como funciona o boleto parcelado Koin na Decolar?
Dá uma olhada! https://www.decolar.com/boleto-parcelado-by-koin

8 – Considere um empréstimo

Muitas vezes o empréstimo pode facilitar uma negociação à vista e até abaixar os preços de uma hospedagem, por exemplo. Além disso, ao solicitar um empréstimo você pode acabar tendo mais disciplina no controle dos gastos restringindo-se ao limite do crédito contratado, evitando agir por impulso e extrapolar no cartão.

Saiba mais sobre empréstimos para viajar no link: https://emprestimosim.com.br/viajar/

Plano perfeito!

Com tudo organizado, basta esperarmos que esse momento passe para que você possa realizar a sua viagem. O importante é que o plano esteja pronto, pois, geralmente, ele pode demorar até mais do que a própria viagem!

Além disso, realizar o planejamento de uma viagem te dá a chance de deixar as suas finanças organizadas e preparadas para o momento de lazer que terá depois!

Mesmo que este não seja o melhor momento para viajar, sabemos que imprevistos acontecem e se precisar fazer uma viagem de emergência conte com a Sim para ter dinheiro rápido e juros baixos.

Publicado por Fernanda Benevides

Formada em Comunicação Social pela ESPM-SP, atua como Head da área de Growth Marketing, na Sim, desde 2019, liderando as equipes de SEO, CRM, Mídia, Conteúdo e BI. Com trajetória profissional de mais de dez anos em marketing digital, atuou em diferentes indústrias, como varejo, bens de consumo e educação, em projetos focados na aquisição e rentabilização de clientes.