Entenda como fica o 13º salário em 2020

Com a pandemia, o benefício pode ser menor.

O fim do ano chegou e os brasileiros estão se perguntando: será que vou receber meu 13º salário normalmente? Com a crise econômica causada pela pandemia do coronavírus, muitos trabalhadores sofreram os impactos na jornada de trabalho e, pior, no bolso. E isso poderá afetar o valor total do 13º salário, esse dinheirinho extra que ajuda tanta gente a pagar as contas do fim de ano e também a cobrir os gastos típicos de janeiro, como a fatura
do cartão de crédito depois do Natal, IPVA, taxas de matrícula escolar, etc. Caso você tenha sofrido suspensão temporária de contrato de trabalho, a empresa na qual você atua pode pagar somente o proporcional aos meses trabalhados? Quem teve o salário reduzido terá o 13º calculado em cima desses descontos ou do valor integral? O que diz a lei?

Vamos por partes. Primeiro, vale ressaltar que o 13º salário é um benefício garantido a trabalhadores que possuem carteira assinada e estão sob o regime CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). Esse benefício garante que o trabalhador tenha direito a 1/12 (um doze avos) do seu salário mensalmente. Para calcular o quanto você vai receber de 13º é preciso dividir o seu salário por 12 e multiplicar o valor pelo número de meses trabalhados.

Exemplo: você ganha R$ 3 mil e trabalhou os 12 meses do ano. O seu 13º será de R$ 3 mil reais. Agora, se você foi contratado no meio do ano e trabalhou somente seis meses, você irá receber R$ 1.500, pois esse é o valor total do seu salário dividido por 12 meses multiplicado pelos meses trabalhados.

Mas o que mudou no 13º salário com a pandemia?

No dia 1º de abril de 2020, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a Medida Provisória n.º 936, permitindo que as empresas reduzissem proporcionalmente a jornada de trabalho e o salário dos funcionários, e possibilitando também a suspensão temporária do contrato de trabalho. Inicialmente, os contratos poderiam ser suspendidos por até dois meses. Depois, com o avanço da pandemia, o governo estendeu o período para quatro meses e, depois, para até seis meses.

Se você já está preocupado, há pelo menos uma notícia boa: todos os trabalhadores de carteira assinada mantêm o direito de receber o 13º salário. Entretanto, a medida nada diz sobre como deve ser feito o pagamento do benefício com as alterações causadas pela pandemia e o que pode ou não ser descontado. Por isso que, provavelmente, cada empresa irá calcular a remuneração à sua maneira.

O que pode acontecer caso você tenha sofrido redução salarial

Para calcular o valor do 13º é sempre utilizado como base o último salário recebido ou o salário do mês de dezembro. Quem estiver com a carga de trabalho reduzida em pleno mês de dezembro irá sofrer descontos no benefício. Quem sofreu a redução durante o ano, mas já voltou para jornada e salário integrais, poderá se esquivar desses descontos.

O que pode acontecer caso você tenha sofrido suspensão temporária de contrato

Vamos supor que a empresa tenha suspendido seu contrato por três meses. Já que o ano possui 12 meses e, de acordo com a lei trabalhista, o 13º é pago proporcionalmente aos meses trabalhados, você poderá receber somente pelos 9 meses em que atuou – mesmo que essa redução de salário e jornada tenha partido do empregador.

Como o 13º é pago?

O pagamento pode ocorrer em dois períodos. A primeira parcela deve ser paga até 30 de novembro e a segunda parcela até 20 de dezembro de cada ano.

O que fazer se você não receber o 13º integral?

Com essas mudanças, muitos trabalhadores estão apreensivos pois não sabem como poderão arcar com as despesas de final de ano e também de janeiro. Aqui, elencamos algumas sugestões para quem vai precisar cobrir esses gastos e ainda não sabe como.

Se tiver tempo, produza algo em casa

Quem estiver com redução de jornada ou de férias pode recorrer a alguns trabalhos manuais feitos em casa, como doces, marmitas e artesanatos. Com as redes sociais, fica mais fácil divulgar os produtos para familiares, amigos e vizinhos e completar a renda.

Ofereça algum trabalho freelancer

Se você tem alguma habilidade ou conhecimento específicos, que tal usá-lo como mão de obra e receber por isso para fazer uma renda extra? Muita coisa pode funcionar: traduções, contabilidade, marcenaria, serviços de passeador de cachorros, babá.

Venda objetos ou eletrodomésticos que não utiliza mais

Sabe aquele saco de boxe que está guardado há anos no quartinho de bagunças ou aquela máquina de fazer panqueca que você nem sabe por que comprou? Talvez seja a hora de passá-los para frente e conseguir uma graninha extra.

Faça um empréstimo

Se nenhuma das opções acima for possível para você no momento, recorra a um empréstimo. Essa pode ser a melhor maneira para não entrar em 2021 no vermelho. Ao fazer um empréstimo pessoal você pode escolher o valor ideal para manter a sua saúde financeira no final de ano e definir em até quantos meses pode pagar as parcelas.

Quer fazer um empréstimo pessoal? Faça com a Sim

Somos uma plataforma digital do Grupo Santander. Nossas linhas de crédito são estruturadas pensando na sua necessidade. E o processo do empréstimo pode ser feito de maneira rápida e totalmente online. Faça uma simulação e veja o que o nosso time de especialistas pode lhe oferecer. Leva menos de dois minutos.

Faça uma simulação!

Siga os nossos perfis nas redes sociais! Instagram | Facebook | YouTube | LinkedIn

Publicado por Fernanda Benevides

Formada em Comunicação Social pela ESPM-SP, atua como Head da área de Growth Marketing, na Sim, desde 2019, liderando as equipes de SEO, CRM, Mídia, Conteúdo e BI. Com trajetória profissional de mais de dez anos em marketing digital, atuou em diferentes indústrias, como varejo, bens de consumo e educação, em projetos focados na aquisição e rentabilização de clientes.