Qual a diferença de empréstimo e financiamento? Saiba aqui!

O universo financeiro e dos bancos é repleto de termos e expressões que podem gerar certas confusões e dúvidas, principalmente para pessoas que não estão muito acostumadas com esse vocabulário. 

Uma dúvida comum é em relação à diferença de empréstimo e financiamento. Por isso, nesse post, vamos te contar como cada um funciona.

Apesar de os dois casos envolverem uma instituição financeira que empresta certa quantia de dinheiro para uma pessoa (ou empresa), existem regras e características bem distintas entre as duas modalidades de crédito. 

Por exemplo, existem garantias e formas diferentes de estruturar o contrato. Além disso, o destino que você pode dar ao dinheiro de um financiamento é diferente do que ocorre com um empréstimo

Para você ter uma ideia, segundo o Serasa Consumidor, em 2018, 41 milhões de brasileiros estavam dispostos a fazer um empréstimo. 

As dificuldades econômicas vividas no Brasil nos últimos anos fez com que muitas pessoas recorressem aos bancos e financeiras em busca de crédito, seja para quitar dívidas, trocar de carro ou adquirir um imóvel. 

Em algumas situações, solicitar um empréstimo pode ser a melhor opção. Em outras,

o ideal é buscar um financiamento. Para acabar de vez com essas dúvidas, vamos explicar as diferenças de empréstimo e financiamento, assim, você consegue escolher a melhor alternativa para as suas necessidades.

O que é um empréstimo?

De forma simplificada, um empréstimo é um pedido de dinheiro a uma instituição financeira (seja ela um banco, uma credora ou uma plataforma digital, como a Sim). A pessoa que necessita de uma renda extra entra em contato com essas empresas e faz a solicitação.

A liberação do dinheiro envolve algumas regras determinadas pela instituição que está emprestando a quantia, tais como:

  1. quantidade de parcelas para pagamento;
  2. juros aplicados;
  3. renda mensal;
  4. análise da reputação do cliente (fatores como inadimplência e seu score são fundamentais para conseguir mais crédito e boas condições de negociação).

Geralmente, os empréstimos possuem regras de concessão um pouco menos rígidas que os financiamentos, e a aprovação do crédito costuma ser mais rápida

Na Sim, os empréstimos pessoais (falaremos sobre as modalidades daqui a pouco) são aprovados rapidamente, e os juros são uns dos mais baixos do mercado. Esse processo foi elaborado para ser uma solução na vida dos clientes, e não mais uma complicação para o futuro.

Outro ponto importante: a utilização do dinheiro fica a critério do cliente. O destino que uma pessoa vai dar à quantia recebida não interessa à empresa. Essa característica é uma das principais diferenças entre empréstimo e financiamento.

Por esta razão, quando uma pessoa pretende quitar dívidas, comprar algum produto e/ou investir em alguma coisa, a melhor opção é fazer um empréstimo, já que a instituição financeira não relaciona o dinheiro a um uso determinado.

Tipos de empréstimo

Preparado para conhecer os tipos de empréstimo disponíveis? Então pegue papel e caneta e comece a anotar!

Até agora, falamos sobre as características gerais e as diferenças entre empréstimo e financiamento, mas existem diferentes modalidades de concessão desse tipo de crédito. Veja abaixo quais são os formatos de empréstimo mais comuns no mercado.

Empréstimos pessoais

Empréstimo pessoal é aquele oferecido para pessoas físicas, ou seja, não pode ser adquirido por uma empresa. Ele é direcionado para fins pessoais, que variam de cliente para cliente. 

Em empréstimo e financiamento, cada instituição determina uma taxa de juros para esta modalidade de crédito, escolhe quais são as regras para liberação do dinheiro e determina qual a quantia máxima que pode ser liberada ao cliente (geralmente, o valor está atrelado às informações pessoais, tais como renda, quantidade de bens, score, etc). 

Os empréstimos pessoais são recomendados para muitas situações, sendo uma das mais comuns a “troca de dívidas”, ou seja, o cliente contrata um empréstimo pessoal para quitar uma dívida de juros mais altos, como cheque especial ou cartão de crédito. 

Empréstimo com garantia

Nesse caso, é preciso dar alguma garantia à instituição financeira para receber o dinheiro, mas empresa não fica com a posse do bem.

Esse tipo de empréstimo envolve juros mais baixos, altos valores cedidos e prazos altos, já que um bem fica alienado, ou seja, poderá ser tomado pela instituição financeira em caso de inadimplência. 

Geralmente, os bens envolvidos aqui são imóveis e veículos As condições para este negócio são claras: todos os bens envolvidos precisam estar em nome da pessoa que requisitou o empréstimo, e a taxa de juros pode variar de acordo com o que está no contrato. 

Empréstimos pré-aprovados

Existem dois tipos de empréstimos pré-aprovados que são muito comuns em nossas vidas, a ponto de não refletirmos sobre o fato de que eles são, sim, uma modalidade de concessão de crédito.

Estamos falando do cheque especial e do limite do cartão de crédito. Pense bem. O que o seu banco faz nestes casos é pré-aprovar um valor para que você utilize como quiser, certo? Sendo assim, não podemos deixar de considerar como uma espécie de empréstimo de dinheiro.

Por se tratar de um valor pré-aprovado, os riscos de inadimplência são bem maiores (tem muita gente que está sempre utilizando cheque especial e estourando o limite do cartão sem muito cuidado com os gastos). Diante de um risco maior de inadimplência, essas duas modalidades apresentam os juros mais altos do mercado.

O que é um financiamento?

Um financiamento é um crédito concedido com um objetivo exclusivo do uso do dinheiro estabelecido em contrato. São linhas de crédito nas quais a instituição financeira sabe qual a finalidade o credor vai dar à quantia emprestada

Uma diferença entre empréstimo e financiamento é que, no segundo, a maioria das pessoas o utiliza para a compra de bens, como veículos, terrenos, áreas rurais e imóveis. Existem também financiamentos ligados à abertura de empresas e projetos corporativos, mas isso não exclui o empréstimo como alternativa.

Os financiamentos podem ser concedidos por financeiras, bancos e plataformas digitais de crédito. Para obter o crédito, o solicitante é submetido a uma análise mais aprofundada de sua situação financeira. Com base nos dados, serão consultadas informações como:

  1. renda;
  2. posse de bens;
  3. score;
  4. análise de outras dívidas;
  5. histórico de compras e pagamentos;
  6. cadastro positivo.

Tudo isso é feito como uma proteção contra a inadimplência, afinal, estamos falando de altas quantias e longos prazos de pagamento. 

É preciso constatar uma certa estabilidade na vida financeira de quem pede muito dinheiro emprestado, por isso, é tão comum que os financiamentos tenham um objetivo de compra determinado e uma análise mais intensa de informações. 

Os juros aplicados e os prazos em um financiamento variam de acordo com a forma de contrato e as normas da instituição que cede o valor. Em muitos casos, os juros são baixos, mas é preciso ficar atento ao valor final do bem adquirido para saber se vale a pena ou não fechar o negócio. 

Tipos de financiamento

Empréstimo e financiamentos se desdobram em diferentes formas. Confira as mais comuns:

Financiamento Imobiliário

Dentro dessa categoria, encontramos as tabelas mais utilizadas para precificar os financiamentos que definem como a dívida será paga ao longo do financiamento.

  1. SAC (Sistema de Amortização Constante): é o tipo de sistema de amortização mais utilizado nos financiamentos imobiliários, a taxa de juros varia de banco para banco, mas as parcelas diminuem de valor com o tempo, já que nesse tipo de sistema um percentual fixo do valor principal é amortizado desde o início do financiamento, e o valor do juros é calculado pelo saldo devedor.
  2. Sistema Price: nesse sistema, as prestações são fixas, os juros são decrescentes e a amortização crescente.

Financiamento de veículos

Nessa modalidade, a mais comum é o Crédito Direto ao Consumidor (CDC). A instituição concede o valor ao cliente, que faz a compra do veículo e paga as parcelas do financiamento. Neste sistema, o bem fica alienado à instituição.

Financiamento empresarial ou estudantil

Essas linhas de crédito se destinam a empresas que pretendem abrir suas portas (ou ampliar seus negócios) e para estudantes que querem custear seus estudos. Os juros são variáveis e, no caso do financiamento estudantil, costumam ser baixos. 

Empréstimo e financiamento: qual é a melhor opção?

Agora que você entende melhor qual é a diferença de empréstimo e financiamento, que tal fazer uma avaliação pessoal e decidir qual é o melhor para sua situação?

A resposta dessa pergunta depende de você mesmo. É preciso analisar qual é a sua necessidade de crédito. Pondere as taxas de juros, consulte as instituições e tenha em mente qual o valor necessário para realizar sua meta.

Não se esqueça que não é recomendado comprometer mais do que 30% dos seus rendimentos com parcelas de empréstimo e financiamento, portanto, tenha muita cautela na escolha da modalidade de crédito ideal.

E se você precisar de ajuda, é claro que pode contar com a Sim! Nosso atendimento é digital, rápido e está pronto para te orientar rumo à melhor solução. 

Oferecemos empréstimos pessoais em que você pode dar seu carro ou moto como garantia, e também oferecemos empréstimo pessoal sem necessidade de garantia. Não cobramos tarifas para análise de perfil e não cobramos nenhum depósito antecipado de valores.

Publicado por Amanda Borges

Formada em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, com MBA em Gestão e Governança de TI, tem uma trajetória de 12 anos atuando em projetos de desenvolvimento de sistemas voltados para a concessão de crédito. Nos últimos anos, especializou-se no desenvolvimento de Produtos Digitais e em 2019 assumiu a liderança da área de Business Development da Sim.

Esse produto é perfeito para você

Empréstimo pessoal

sem garantia

  • Até 25% de liberação de crédito
  • Taxas de juros a partir de 1.49% a.m

Empréstimo pessoal

com garantia de moto

  • Até 60% do valor da moto ou R$ 25.000
  • Só a Sim tem!

Empréstimo pessoal

com garantia de carro

  • Até R$ 50.000 ou 85% do valor do carro
  • 90% de chances de aprovação